chat Online

A+

A-

Voltar

“O ensino a distância hoje é um caminho sem volta”

Por Coordenadoria de Comunicação Social   |   1 de Junho de 2021 às 13:0

Neste mês, o diretor de Ensino Superior da ENS, Mario Pinto, concedeu entrevista exclusiva para a Rádio CNseg. Ao longo da conversa, foram abordados assuntos como inovação, novos projetos e tecnologias, e a nova realidade do ensino a distância.

O executivo aproveitou a oportunidade para anunciar a parceria firmada entra a Escola e a CNseg, para criação da Central de Casos Reais do Mercado Segurador, que irá coletar informações sobre casos reais vividos pelas seguradoras, disponíveis no Centro de Documentação da Confederação. A partir de agora, os dados serão sistematizados pela ENS para estudos e análises em sala de aula.

Confira a seguir os principais trechos da entrevista.

Neste ano, a ENS lançou novos cursos de Graduação Tecnológica sobre temas relacionados a outros segmentos de negócios, indo além da já conhecida expertise na área de Seguros. Como foi este processo e qual o objetivo da Escola com essa ampliação da oferta de tecnólogos? Os novos cursos perpassam ou dão base para uma futura migração profissional para o mercado de seguros?

Isso foi um processo natural que saiu do próprio mercado. Temos o hábito de nos comunicarmos com o mercado no nosso cotidiano e algumas demandas vinham aparecendo, nós correspondemos a estas demandas. Demos entrada em diversos cursos, que foram aprovados pelo MEC, e há outros tantos lá esperando aprovação, justamente para atender a esta demanda do mercado. Temos cursos especificamente na área de seguros, cursos que mesclam a questão do seguro com a gestão, e cursos com uma ênfase maior em gestão. Temos cursos já aprovados pelo MEC, diga-se de passagem, com as notas máximas, isso no nível de graduação. E temos enfatizado muito a Graduação Tecnológica, que é um curso de graduação mais rápido que o bacharelado. Enquanto o bacharelado leva quatro ou cinco anos, o curso de graduação tecnológica leva apenas dois ou três anos. O mercado tem exigido formações mais rápidas, mais verticais, mais focadas para resolver problemas e para gerar empregabilidade. E é nisso que a Escola tem se esmerado de alguns anos para cá.

No atual cenário de pandemia, as pessoas buscam, por meio do ensino remoto, ampliar sua capacitação, aperfeiçoar-se dentro do mercado em que atuam ou, ainda, buscar uma nova oportunidade de carreira. Quais programas de ensino da Escola podem ajudar o profissional ou aluno que está em uma dessas condições?

Você mencionou uma grande verdade. Hoje, se tem uma preocupação muito grande em termos de qualificação, de preparo para atuar neste novo mercado, e a questão do ensino a distância tem tido ênfase, uma grande preocupação da Escola, não apenas por causa da pandemia, na verdade, a pandemia acelerou um processo que já vinha acontecendo. A ENS vinha se preparando porque identificava essa necessidade de aumento de capilaridade e o que a gente percebeu com a pandemia foi, obviamente, a aceleração deste processo. Então, a Escola tem diversos cursos, diversos mecanismos, fez um esforço muito grande, um investimento muito grande não apenas em termos de recursos financeiros, mas em pessoal, para disponibilizar o que há de melhor, no estado da arte, em termos de educação a distância. A gente não tem certeza exatamente como vai ser esse mundo de educação pós-pandemia, mas uma certeza nós temos: que o ensino a distância hoje é um caminho sem volta.

Recentemente, ENS e CNseg firmaram parceria para criação da Central de Casos Reais do Mercado Segurador. Fale um pouco sobre esse projeto pioneiro e inovador de educação em seguros.

Esse é um projeto belíssimo que a Escola fez em parceria com o Centro de Documentação da CNseg, o Cedon, pegando elementos reais do próprio mercado e transformando isso em material para a sala de aula. Isso é o que acontece nas principais universidades americanas e europeias: levar para a sala de aula casos reais, a fim de que os alunos possam discutir, debater e aprender em cima da realidade. A ideia é pegar os dados que estão disponíveis no Cedon e a Escola sistematizá-los para que possam ser levados para a sala de aula. Estamos montando uma central de casos para poder oferecer ao mercado a própria realidade do mercado. Já começamos a trabalhar nos casos e o primeiro fica pronto no próximo mês.

Completando 50 anos em junho próximo, a ENS segue inovando e direcionando seus esforços para novos projetos, parcerias e ramos de atuação. Nesse sentido, quais programas podemos destacar na área de Ensino Superior?

São muitas ações, a Escola é extremamente antenada com o que acontece no mercado. E com o mercado em ebulição, com um aumento significativo de complexidade, a Escola reage justamente a este novo cenário. Então, nós temos novidades na área de cursos, na área de pesquisa, e na forma como a Escola entrega o conhecimento para o mercado.

Acesse o link a seguir para ouvir a entrevista na íntegra: https://radio.cnseg.org.br/radiocnseg/segurocast/inovacao-novos-projetos-e-tecnologias-marcam-50-anos-da-escola-de-negocios-e-seguros.

Outras Notícias

15/21/2021 - 11:21

Riscos Cibernéticos: live tirou dúvidas e explicou detalhes da modalidade

ler mais

14/30/2021 - 10:30

Programas explicam contratos de seguros e como potencializar vendas

ler mais

13/25/2021 - 02:25

Data Science e Inteligência Artificial são temas de pós-graduação

ler mais

11/25/2021 - 03:25

Dicas e fatores de sucesso para empreendedores foram abordados no Circuito de Insurtech

ler mais