Pós-Graduação

Programa de Formação em Resseguro - Módulo IV

Voltar
A+
A-

Sobre o Curso

Permitir que o aluno compreenda perfeitamente as características peculiares de cada segmento de seguro, as quais influenciam na contratação do resseguro. Inserir o aluno no âmbito da regulação do sinistro sob a ótica do Ressegurador, a partir da obrigação básica da Seguradora de operacionalizar ativamente todos os procedimentos concernentes. Inserir o aluno no âmbito das operações básicas da prestação de contas entre a Cedente e os seus parceiros Resseguradores. Permitir que o aluno conheça os cenários e as ações políticas voltadas ao resseguro nacional, bem como o pensamento crítico em relação ao estágio de desenvolvimento do setor ressecuritário no País. Inserir o aluno no cenário internacional das operações de resseguro, demonstrando os diversos movimentos ou fatores que interferem nas relações, nos comportamentos e nos possíveis resultados também no Mercado Brasileiro. Conhecer este tipo de contrato financeiro, de modo a poder estabelecer linhas comparativas, em face dos tipos tradicionais de resseguro com transferência de risco.

Baixe aqui o Programa do Curso

Conteúdo

     
    1. Seguros de Responsabilidade Civil 
    Características peculiares do segmento RC em relação aos demais ramos – Princípio da long tail exposure; Seguros à base de reclamações – claims made – outros tipos de triggers de apólices e as influências no resseguro; Conceito de mesmo evento para fins de RC; Conceito de sinistros em série; Resolução de contrato RC; Punitive or exemplary damages; Extensões geográficas da cobertura; Tipos de resseguro por segmento.

    2. Seguros de Pessoas 
    Objetivos do resseguro na área de Seguros de Pessoas; O Papel do Ressegurador em face de uma Seguradora de Seguros de Pessoas; Formas de Resseguro nos Seguros de Pessoas: Facultativo e Automático - Proporcional e Não Proporcional; Excesso de danos por Ocorrência, Excesso de Danos Catástrofe, Excesso de Danos no Agregado (Stop Loss); Acúmulos de riscos (conhecidos e não conhecidos); Principais parâmetros técnicos e diferenças entre Contratos de Vida Individual, Vida em Grupo, Doenças Graves e Saúde.

    3. Seguros de Crédito e Garantia 
    Fundamentos dos Seguros de Crédito e Garantia em face do Resseguro; Oferta de capacidade – limites; Controle de acúmulos; Riscos Facultativos e Contratos Automáticos; Análise de carteira; Estatísticas; Estruturas de contratos – proporcionais e não proporcionais; Cláusulas essenciais, Impacto do Cenário Econômico na disponibilização de Capacidade.

    4. Seguros do Agronegócio 
    Tipos de coberturas efetivamente existentes no mercado nacional para o agronegócio e o que pode ser ampliado; Subsídio estatal ao prêmio do seguro agrícola (modelo nacional e padrões internacionais); Fundo de Catástrofes; Demais especificidades do setor.

    5. Aeronáuticos, Transportes e Energy 
    Especificidades de cada segmento: Aeronáuticos, Transportes e Riscos do Petróleo; Controles de Acúmulos; Responsabilidade Civil – Poluição Ambiental.

    6. Property 
    Acúmulo de riscos; Clash (Danos Materiais/ Perdas Financeiras); Mesmo evento atingindo Coberturas diversas na mesma apólice ou no mesmo local em face dos riscos garantidos pela carteira da Cedente; DMP (PML); 5. Critérios de depreciação dos bens sinistrados.

    7. Sinistros em face do resseguro e da atividade resseguradora 
    Ajustamento (regulação) de sinistro – obrigação primária e contratual da Cedente; Envolvimento do Ressegurador na regulação dos sinistros e as cláusulas pertinentes: Assistência – Cooperação e Controle – aplicação prática de cada modelo [os princípios jurídicos já foram estudados em outra Disciplina]; Aviso de Sinistro no resseguro: modelo de cláusula contratual – prazos – descumprimento; A escolha e as funções dos Loss Adjusters (momento adequado; previsão contratual explícita; etc.); Os peritos técnicos; A regulação em si e suas intercorrências possíveis: negativa parcial do pagamento de indenização em relação à pretensão integral do segurado - ingresso da ação judicial do Segurado contra a Seguradora (providências e consequências) - superação do valor dos prejuízos inicialmente estimados e informados ao Ressegurador; Controle de reservas: em resseguro proporcional e não-proporcional - Informações necessárias da Cedente para o Ressegurador – métodos para constituir reservas de sinistros; Modelos de relatórios de regulações de sinistros exigidos pelos resseguradores internacionais; Pagamentos e adiantamentos de indenizações de sinistros: bases contratuais estabelecidas; Negócio de resseguro intermediado pelo Broker – procedimentos em relação aos sinistros e a efetiva participação do broker no processo; Cláusula de Sub-Rogação de Direitos e os Salvados; Despesas com regulações e liquidações de sinistros que o Ressegurador participa (honorários, despesas de contenção e salvamento, peritagem, viagens, etc.): previsão contratual objetiva, deficiências conceituais ou não previsão e os reflexos; Sinistros e a retrocessão; Auditorias de sinistros realizadas pelo Ressegurador nas Cedentes: objetivos, informações necessárias, exames dos registros, recomendações; Prescrição.

    8. Prestação de contas entre a Cedente e o Ressegurador – aspectos contábeis e financeiros 
    Informações relativas à conta resseguro elaborada e apresentada pela Seguradora Cedente ao(s) Ressegurador(es); Contratos Obrigatórios e Facultativos; Teoria e prática; Crédito de resseguro; Encontro de contas; Regra dos noventa dias; Regulamentação brasileira: práticas internacionais vs. Nacionais; Inconsistências; reflexos.

    9. Mercado Nacional de Resseguro - a evolução do mercado de resseguro aberto no Brasil e a política empresarial do setor de seguros diretos 
    Análise do setor de resseguros no Brasil desde a abertura em 2008; O grau de satisfação alcançado pelas Seguradoras Brasileiras e os possíveis problemas ainda existentes, considerando-se que a fase de adaptação já foi superada ou deveria ter sido. O Mercado Internacional atende às expectativas dos Seguradores Nacionais?; O Mercado de Seguros evoluiu, de fato, a partir da abertura? Em todos os segmentos? Houve, de fato, a criação de novas classes de negócios com a participação de resseguradores internacionais? Quais? A técnica, essencial para a atividade securitária, foi estimulada pelos Resseguradores Internacionais no país?; Houve a redução do risco técnico através do resseguro, em face da transferência de tecnologia às Seguradoras? Elas, de fato, buscam este aprimoramento técnico nas operações, de modo amplo?; Há poder de domínio dos resseguradores em relação à atividade seguradora nacional? O mercado Segurador influenciava muito mais a atividade resseguradora, quando ela era exercida em regime de monopólio pelo IRB-Brasil Re?; O Mercado Brasileiro deverá criar determinados pools de seguro/resseguro para riscos especiais, notadamente em face da escassez de cobertura de resseguro? Exemplos: riscos ambientais; riscos farmacêuticos; agrícola; crédito à exportação; mudanças climáticas; O mercado segurador nacional e as salvaguardas praticadas contra os riscos da insolvência do ressegurador; CNSeg e demais Entidades Representativas de Classes (FENABER, ABECOR) – ações voltadas ao segmento de resseguro; Parcerias internacionais voltadas ao aperfeiçoamento da atividade seguradora nacional; Mudanças das regras em 2017: reflexos observados na atividade em face dos interesses internacionais no Brasil, assim como a efetiva superação da reserva de mercado para os Resseguradores Locais.

    10. Mercado Internacional de Resseguro 
    Comparativo dos volumes dos mercados de seguro e resseguro em face da economia mundial; Práticas e problemas enfrentados na atualidade; Dados do mercado internacional; Mudanças climáticas como fator determinante na indústria ressecuritária mundial e os possíveis reflexos no Brasil. Posturas do Mercado Segurador e Ressegurador no país em face dessa problemática; Sinistros catastróficos; Diversificação como atenuante de acúmulos; O preço do resseguro na atualidade – fatores influenciantes. O preço do resseguro como fator de concorrência; Reciprocidade entre o Ressegurador e os grandes clientes? Possíveis efeitos; Mercado soft e mercado hard; A presença e as influências dos players do mercado internacional de resseguro no Brasil desde a abertura em 2008; A supervisão estatal das companhias de resseguro – maximização dos controles em face dos interesses dos segurados diretos e da liquidez do sistema?; Mudanças das regras publicadas em 2008: possíveis reflexos na atividade em face dos interesses internacionais no Brasil; O Brasil perdendo graus de investimentos afeta a security em face do resseguro internacional?; Resseguro, enquanto atividade internacional na sua essência constitutiva, tem de fato a necessidade de ser operado através de “mercado doméstico”?; A interferência estatal na atividade resseguradora: aspectos críticos.

    11. Resseguro Financeiro e Derivativos 
    Origem; Objetivos; Tipos de Contratos: Contratos Finite – Multi-line – Multi-year – Risk management; Insurance and ART; Professional (re)insurers – ART não é magia; Legislação internacional acerca do tema; Legislação e normatização brasileiras sobre o resseguro financeiro; Perspectivas de desenvolvimento do tema no país; 9. Diferenças entre Resseguro Financeiro/Derivativos e Resseguro clássico.
     

Modalidade

Presencial

Período

Início: 27/4/2020
(Previsão)

2ª e 4ª feiras
19h às 22h15

Duração

68h

Local

-

Informações

-

Pré-Requisitos

Graduação completa e ainda, ter cursado o Módulo I ou II; ou experiência comprovada no mercado de resseguro há 3 anos, mediante análise curricular e entrevista com a coordenação do curso.

Esse curso não tem inscrição aberta no momento.
Caso tenha interesse, clique no botão ao lado e faça sua inscrição de interesse.

Corpo Docente

Equipe de professores da Escola Nacional de Seguros

Depoimentos

Veja alguns
depoimentos
de quem já
passou por aqui.

Márcia Camacho

Gerente de Pós-Venda da corretora Minuto Seguros

“Fazer a faculdade da Escola Nacional de Seguros foi um divisor de águas na minha carreira. Lá, eu vivi e respirei o mercado de seguros. As disciplinas sempre fazem relação com o mercado de seguros e tudo o que acontece é debatido entre os professores, que têm uma bagagem acadêmica e prática muito grande.”

;

Confira outros cursos da Escola